Aumenta a preferência pela carne de crocodilo na Beira

Aumenta a preferência pela carne de crocodilo

O consumo da carne de crocodilo passou de mito à realidade na cidade da Beira.

Esta iniciativa é descrita pelos mentores como estando integrado na agitação dos conflitos Homem-fauna bravia, que provoca mortes e mutilações ao longo das zonas ribeirinhas dos principais cursos de água.

Com 42 porcentos (42% de PB), a carne de crocodilo está contribuir para reduzir os índices de malnutrição. Comer carne de crocodilo já se transformou em uma cultura para os citadinos da beira. Leia mais

Projeta-se matadouro

Arranca ainda este ano a construção do primeiro matadouro de crocodilos, na cidade da Beira, decorrendo neste momento contactos com as autoridades moçambicanas para a sua credenciação.

Basicamente, pretende-se que futuramente, seja exportada carne de crocodilo, que permitira a entrada de divisas no pais, apesar de o produto ainda não ter valor comercial. Leia mais

Exportar 50 toneladas por ano

A província de Sofala poderá exportar nos próximos tempos carne de crocodilo para alguns países da Ásia, preferencialmente a China, processo que depende apenas de emissão de uma licença para o efeito pelos serviços Provinciais de Veterinária.

O projecto esta a cargo da AGRIPEC, uma empresa local que afirma ter mais 27 mil crocodilos e 5328 ovos expostos em vários pavilhões instalados no posto administrativo de Nhangau, arredores da cidade da Beira. Leia mais

 

Fonte: Jornal Notícias Edição de quinta-feira, 10 de janeiro de 2019.

 

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.