Instalação do Laboratório de Transferência de Embriões ZAP IN VITRO em Mo

O laboratório de transferência de embriões, é um empreendimento privado da empresa “ZAP IN VITRO MOZAMBIQUE”, propriedade das empresas ZAP-Zambézia Agropecuária e a In Vitro Brasil, estimado em 84 milhões de meticais (1.5 milhões de euros).
A ZAP IN VITRO MOZAMBIQUE, desenvolveu um projecto único no país que irá conceder 2.000 prenhezes de Girolando e/ou Brahman por ano durante os próximos 10 anos.
Este projecto é apoiado pelo fundo de investimento do sector privado (PSI), do Banco do Reino da Holanda, que apoia iniciativas inovadoras e investem em países em desenvolvimento.
A transferência de embriões tem como princípio a multiplicação, de forma acelerada, da progênie (descendentes), de fêmeas consideradas superiores, dentro de uma espécie.
As doadoras são submetidas a tratamentos com hormonas, que atuam sobre os ovários causando múltiplas ovulações. Os óvulos são fertilizados por inseminações, utilizando sêmen de touro de alto mérito genético e avaliados após uma semana, período em que é feita a micromanipulação (para sexagem ou genotipagem).
Os embriões considerados viáveis, são transferidos (inovulação) para fêmeas receptoras previamente selecionadas (com boa habilidade materna), que fazem a gestação e criam os vitelos até o desmame.
Uma vaca que conseguiria deixar um vitelo de alto valor por ano, poderá passar por várias colheitas de óvulos, com a possibilidade de obtenção muitos embriões, o que permite a produção de muitos vitelos por ano (Ex: uma doadora Brahman pode produzir em média 65 vitelos por ano e uma Gir 31 vitelos por ano).
Fêmeas de alto valor genético (Brahman e Holstein) foram adquiridos da África do Sul, para constituirem o plantel de doadoras. Os óvulos vão ser fertilizados por sêmen de Brahman e Gir, respectivamente, de alto mérito genético importado do Brasil.
Adicionalmente foram importados embriões Gir e semen de Holstein da IN VITRO Brasil para produção de fêmeas Girolando.
As doadoras irão fornecer oócitos para geração de cerca de 200 prenhezes/mês.
Os embriões Girolando e Brahman assim como o de outras raças que forem de interesse do governo serão implantados em receptoras Nguni.

Resultados esperados

a) Na produção leiteira
Introdução do Girolando, conhecido pela sua alta produção de leite e adaptado as condições agro-climáticas prevalecentes em Moçambique através:

  • Selecção e produção de embriões das melhores matrizes.
  • Sémen sexado dos melhores touros gerando maior número de fêmeas.
  • Transferência de embriões nas vacas em lactação ou receptoras.
  • Mais produtividade fruto ganho genético convertido em litros leite.
  • Maior lucratividade com o aumento do leite e a venda de fêmeas excedentes.

b) Na produção de carne
Através da produção e transferência de embriões do Brahman ou outra raça que for do interesse do governo e que seja adaptado as condições agro-climáticas prevalecentes em Moçambique:

  • Seleção e produção em larga escala dos melhores animais.
  • Embriões sexados obtendo mais animais do sexo pretendido.
  • Maior ganho de peso devido a eficiência na conversão de alimentos.
  • Carne de qualidade fruto do melhoramento genético acelerado.
  • Maior lucratividade conseguindo melhor rendimento de carcaça.

c) Impacto económico
Através da produção e transferência de embriões no país, o Estado espera poupar divisas na importação de animais de alto mérito genético como Brahman, Girolando ou outra raça que for do interesse do Governo:

  • O projecto prevê disponibilizar para o mercado 200 prenhezes por mês.
  • Assumindo que um animal de alto mérito está avaliado em 1.500 USD.
  • O País pode poupar mensalmente 300.000 USD ou 3.600.000 USD anualmente que seriam gastos para importar reprodutores.

Fonte: MASA

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.